Dia Mundial da Poupança

No dia 31 de Outubro comemora-se o Dia Mundial da Poupança. Mesmo com uma gestão cuidadosa podem sempre surgir imprevistos que podem levar à perda de rendimentos ou ao aumento das despesas e, desta forma, ao desequilíbrio das nossas finanças pessoais, pelo que, a Poupança deve ser uma prioridade. Mas como é possível poupar?
Poupar é um verbo muito utilizado pelas famílias nos últimos anos. Significa guardar, economizar, não desperdiçar.
A crise demonstrou aos consumidores que têm de alterar os seus comportamentos: têm que esticar os salários até ao fim do mês, através de uma gestão do seu orçamento mais eficaz e, se possível, destinar uma parcela dos seus rendimentos para a poupança – são comportamentos indispensáveis.
Todos os meses, ou sempre que possível e com regularidade, as famílias devem retirar uma parte do seu rendimento para uma poupança. O ideal seriam 10% do rendimento, no entanto esta avaliação terá que ser feita, caso a caso. As famílias devem ter constituído um fundo de emergência (pelo, menos, 5 a 6 vezes o rendimento mensal da família) para acautelar o impacto financeiro de alguma situação imprevista, tal como o desemprego ou uma despesa inesperada.
Esta não é uma tarefa nada fácil, mas com a elaboração do orçamento familiar de forma regular e rigorosa, os consumidores poderão controlar melhor as suas despesas correntes e tomar decisões financeiras responsáveis e conscientes.
Do poupar vem o ter.
 
Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado
Para apoio em questões de consumo ou de sobre-endividamento dirija-se à DECO (deco.norte@deco.pt) ou ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da autarquia do seu concelho de residência (Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela ou Vila Flor). Estas autarquias têm um protocolo de colaboração com a DECO e prestam apoio gratuito.