Olhar // Nordeste Transmontano

A maior reserva natural da Europa está à frente dos nossos olhos

António G. Rodrigues em Qui, 20/03/2014 - 18:38

Como um fio condutor insistindo em unir duas margens que durante séculos estiveram desavindas, o rio Douro corre ao longo daquele que será o coração da maior reserva transfronteiriça da Europa, unindo vontades debaixo de um mesmo leque de oportunidades para uma região que, mais do que as riquezas da natureza, partilha os mesmos problemas e os mesmos anseios de crescimento.
A Reserva da Biosfera Transfronteiriça Meseta Ibérica, que está a nascer entre o Nordeste Transmontano português e as províncias de Zamora e Salamanca, em Espanha, espera ser o chapéu unificador de vontades e oportunidades para uma região deprimida demograficamente mas cheia de vontade de dar a volta à crise que se vive atualmente.
O objetivo deste projeto, que nasce no âmbito do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Zasnet, é aproveitar todo o potencial que a natureza ofereceu a esta região e criar uma grande marca que possa servir de atração quer de visitantes quer de investimentos.
Em primeiro lugar, porque não existe nenhuma outra reserva natural transfronteiriça (que englobe mais do que um país) com a dimensão que esta pode ter. Para além disso, o cunho da UNESCO acaba por servir de garantia de qualidade e ajudar a decidir os visitantes indecisos.
A somar a estes fatores estão outros como a proximidade com vias de comunicação estruturantes para o turismo, como seja a Autoestrada das Rias Bajas, um dos percursos privilegiados para os visitantes que se dirigem a Santiago de Compostela, por exemplo.
A reserva da biosfera acaba por funcionar como um conceito de desenvolvimento de uma região com muito em comum, sobretudo em termos naturais, cujo potencial está sub-aproveitado. Sendo uma marca, não funciona em si mesmo como limitadora de ação, como acontece, por exemplo com outro tipo de reservas naturais, como sejam os Parques.
Se em Portugal este conceito passa algo despercebido (existem sete), em Espanha são 45 as já existentes.
Esta pretende congregar quatro Parques Naturais e cerca de 40 sítios classificados como Rede Natura 2000. Só o Parque Natural do Lago de Sanábria, em Espanha (a cerca de 50 quilómetros de Bragança) atrai 700 mil visitantes por ano, mais do que os outros espaços deste projeto juntos.

Uma Reserva da Biosfera declarada pela UNESCO não implica nenhum tipo de restrições às atividades económicas das populações, funcionando, isso sim, como um selo de qualidade ambiental, que pode ser usado na promoção do desenvolvimento e do emprego. Ou seja, não acrescenta nenhuma restrição legal ao território que a integra.

Reservas da Biosfera geram desenvolvimento sustentável
A Declaração de Reserva da Biosfera surgiu há menos de meio século e é atribuída pela UNESCO, a mesma organização responsável, por exemplo, pelas declarações de Património da Humanidade.
Pretende conciliar o uso de recursos naturais com a sua conservação. Os EUA são o país com mais espaços deste género (47) seguidos de perto pela Espanha (45). Um dos mais conhecidos é o dos Picos da Europa, em Castela e Leão.
Das 621 reservas da biosfera existentes em todo o mundo, 12 são transfronteiriças. Esta seria a maior delas todas.
As reservas da biosfera da UNESCO promovem os produtos da região, o turismo em conformidade com o meio ambiente e uma agricultura inovadora que protege o ambiente. Este conceito pode servir como um guia de projetos que visem a melhoria da qualidade de vida das populações e assegurem a sustentabilidade ambiental.