A opinião de ...

“A fevereiro e ao rapaz perdoa tudo quanto faz, se fevereiro não for secalhão e o rapaz não for ladrão”

A previsão mensal indicava a possibilidade de um mês tendencialmente seco e com temperaturas acima da média e assim está a ser, em toda a região sem exceção. Nos últimos dias verificamos como apesar da muita nebulosidade, a precipitação foi muito escassa ou mesmo nula e as temperaturas, quer mínimas, quer máximas, estiveram bem acima do que seria normal e desejável para esta altura do ano.
Já vos tinha indicado na edição anterior, que pelos meus cálculos, janeiro tinha sido um mês seco e quente na nossa região, faltava apenas a confirmação oficial do IPMA, que não apenas confirmou esse cenário, como indicou a sua especial persistência desde 2012. “O valor médio da temperatura média do ar, 9.58 °C, foi superior ao valor normal em 0.77 °C, o valor médio da temperatura máxima do ar foi de 13.91 °C, 0.82 °C superior ao valor normal, sendo o 14º valor mais alto desde 1931 (mais alto em 2008), de referir que os valores de temperatura máxima do ar em janeiro foram sempre superiores ao normal nos últimos 9 anos (desde 2012), o valor médio da temperatura mínima do ar, 5.26 °C, foi superior ao normal em 0.72 °C, sendo este o maior período consecutivo com anomalias positivas desde 1931, para o mês de janeiro”.
No que diz respeito à precipitação, o cenário também não foi animador, senão vejamos, o valor médio da quantidade de precipitação em janeiro, 76.0 mm corresponde a cerca de 65 % do valor normal 1971-2000, contudo e graças às chuvas de dezembro, conseguimos manter ainda assim, toda a nossa região, com índices de humidade nos solos iguais à capacidade de campo.
Em relação ao índice da seca, no mesmo relatório, o IPMA, deixou claro que a pouca precipitação registada em janeiro no nordeste transmontano, passou fatura, embora nos mantenha à margem de uma situação de seca meteorológica pelo 2º mês consecutivo, as áreas que estavam em situação de chuva moderada desapareceram, dando lugar a chuva fraca, com tendência clara ao agravamento deste índice, devido à ausência de precipitação das últimas semanas.
Nos próximos dias não espero grandes novidades, vamos continuar com tempo aborrecido, com períodos de muita nebulosidade, as probabilidades de precipitação serão baixas e as temperaturas vão continuar atípicas para a época do ano, não se esperam geadas, as mínimas em Bragança não devem descer dos 3ºC e as máximas voltarão a chegar aos 15ºC no fim-de-semana, já em Mirandela, as máximas deverão atingir novamente os 18ºC e as mínimas não irão além dos 4ºC.
No largo prazo, e olhando as simulações dos modelos até ao próximo dia 27 de fevereiro, tudo parece indicar que continuaremos com condições meteorológicas dominadas pela presença das altas pressões, possivelmente com as habituais neblinas e nevoeiros e sem precipitação, a confirmar-se, estaremos perante um fevereiro extremamente seco, quando o desejável seria que fosse húmido, como diz o adágio popular desta semana.
Dada a incerteza das previsões a prazo, aconselhamos o acompanhamento das atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

Edição
3768