Nordeste Transmontano

Covid-19: Um caso novo em Vila Flor e 15 recuperados

Publicado por FP/AGR em Ter, 2020-08-11 11:46

Um caso novo em Vila Flor e 15 recuperados é o balanço do relatório das autoridades de saúde até às 15h00 de segunda-feira.
Desse relatório, salta à vista que está já recuperada a jovem estudante da comunidade africana que frequenta a Escola Superior de Comunicação, Administração e Turismo de Mirandela e que tinha testado positivo no dia 14 de julho.

Depois de dois testes negativos, consecutivos, as autoridades de saúde já deram como clinicamente curada da doença a jovem estudante de 22 anos.

Sendo assim, resta apenas um paciente ainda com a doença ativa no concelho mirandelense: um emigrante (sazonal) de 49 anos, que estava a trabalhar na Suíça e regressou à sua aldeia, em Vila Verde, tendo testado positivo no dia 28 de julho, e que está a cumprir meticulosamente com as indicações da autoridade de saúde pública, permanecendo em isolamento na sua habitação, desde então.

Nos dados atualizados da situação epidemiológica no distrito de Bragança, há o registo de mais um caso positivo registado no concelho de Vila Flor. Trata-se de um homem de 51 anos de idade.

Nas últimas 24 horas, há então 14 pacientes recuperados (15 com o caso de Mirandela), sendo 8 do concelho de Miranda do Douro e 6 do concelho de Bragança, os dois concelhos que contabilizam mais casos ainda ativos, representando 83% do total de casos no distrito.

Até ao momento, cinco meses depois do início da pandemia, já foram realizados mais de 17 400 testes para a Covid-19 no distrito de Bragança com um total acumulado de 415 casos positivos.

319 já recuperaram da doença (77%). Há a lamentar 24 óbitos associados ao novo coronavírus (6%). Restam 72 pacientes ainda com a doença ativa (17%).

34 são do concelho de Bragança. 26 de Miranda do Douro. 4 de Macedo de Cavaleiros. Há depois seis concelhos com apenas um caso ativo: Mirandela, Torre de Moncorvo, Vinhais, Mogadouro, Vimioso e Vila Flor.

Há ainda dois casos importados da Região de Lisboa e Vale do Tejo por curar.

As autoridades de saúde pública têm mais de 150 contactos sob vigilância, havendo, ainda, 92 testes à espera de resultado.