Armando Fernandes

 

 

A bola e a gramática

Segundo o noticiário futebolístico foi aprovada e apresentada uma nova bola destinada às competições da I Liga a qual é colorida e brilhante de modo a refulgir aos olhos dos jogadores e espectadores. Aplaudo a invenção da bola eivada de cromatismo na justa medida de os pontapés na gramática multiplicam-se mesmo no referente a presumidos autores de livros, ainda há dias ouvi um escrevinhador ufanar-se de escrever conforme fala não sendo preciso grandes cuidados no acto da escrita. Disse estas e outras barbaridades no decurso da apresentação de obra alheia. Se o Sr.


O urso e os camursos

Na História da Sociedade Portuguesa no Séc. XV, o historiador Costa Lobo escalpeliza os modos de vida dos cortesãos, dos burgueses e dos patas ao léu estabelecendo as gritantes diferenças e algumas consonâncias das três classes: alto clero e nobreza. Burguesia a emergir e o povo explorado, pobretana e pedinte.


Para lá das eleições, eleições!

No próximo dia 26 vamos escolher os deputados nossos representantes no Parlamento Europeu. É um cargo muito disputado pois rende pingues proventos e mordomias ao modo dos marajás, por isso mesmo, abundam os golpes pela calada e às caras para pertencer à lista em lugar elegível. Além dos deputados formiguinhas, nas listas entram candidatos em fim de carreira política no país de origem ou então os sempre discordantes rodeados de acólitos.


Petas

No primeiro dia de Maio os meninos tentavam causar surpresa aos adultos proferindo petas pobres de engenho, ricas de ingenuidade pueril na tradição das comunidades rurais. No primeiro dia do mês de Maio os meninos trucidavam alegremente castanhas secas (piladas) como poção protectora das mordeduras de burro.


Moçambique

Há uns anos integrei uma equipa destinada a estudar e propor medidas para a requalificação e transformação cultural da ilha de Moçambique. Antes da partida, no intuito de levantar a ponta do véu sobre a emblemática ilha no quadro das navegações portuguesa retirei da prateleira Mangas Verdes Com Sal e Ilha do Próspero, obras escritas pelo poeta Rui Knopfili por a sua imagética ser luminosa e propiciadora de olhares perturbadores acerca do nosso e do Mundo que nos rodeia.