Márcio Santos

Meteo Trás-os-Montes

“Logo que outubro venha, procura a lenha

Outubro marca não apenas o arranque do segundo mês do outono meteorológico como também o início do novo ano hidrológico 2019/2020, embora ainda sem dados oficiais fechados, não é difícil adivinhar que o ano que agora terminou foi deficitário em toda a região, choveu menos que o habitual tendo em contas as normais climatológicas em vigência, o que nos deve preocupar não é a seca em si, sempre houve e vai continuar a haver, o mais grave é sem dúvida alguma a persistência cada vez maior de grandes períodos secos, seguidos de pequenos períodos chuvosos, que não conseguem por sua vez repor os ní


"Em Setembro semeia o teu pão mas escuta o que o teu vizinho diz, porque no dia oito o centeio deve estar da altura da pena da perdiz.”

O IPMA disponibilizou o seu relatório climatológico referente ao mês de agosto e sem surpresas verificou-se uma diminuição dos valores de percentagem de água no solo em praticamente todo o país. De acordo com o índice meteorológico de seca, no final de agosto manteve-se a situação de seca meteorológica, verificando-se um ligeiro desagravamento em relação ao final de julho em alguns locais das regiões do norte e centro, graças à instabilidade verificada no dia 25 de agosto.


“Dia de São Lourenço (10 de agosto), vai à vinha e enche o lenço.”

O IPMA disponibilizou o seu relatório climatológico referente ao mês de julho e sem surpresas classificou o mês passado como normal em relação às temperaturas e seco em relação à precipitação, que teve um valor médio de 5.9mm, apenas 43% do normal, o que como vos adiantei nas semanas passadas, implica um agravamento dos índices de água nos solos e da seca meteorológica, na nossa região a percentagem de água nos solos está com valores extremamente baixos, inferiores a 20%, o “stress” hídrico já é bem visível para os mais atentos, tratam-se de valores muito próximos do emurchemento permanente