Bragança

Sete arguidos no caso Giovani continuam acusados de um crime de homicídio consumado

Publicado por Glória Lopes em Seg, 2020-10-19 18:25

Foram pronunciados em co-autoria por um crime de homicídio consumado, com dolo eventual, sete arguidos suspeitos de envolvimento na morte do estudante Luís Giovani Rodrigues, natural de Cabo Verde e que estudava no Instituto Politécnico de Bragança, segundo a decisão instrutória conhecida esta segunda-feira.
A juíza do Tribunal de Bragança encarregue da instrução do processo decidiu pronunciar os jovens, cm idades entre os 24 e os 32 anos, pelo crime de homicídio consumado relacionado com a morte de Luís Giovani. Porém, desagravou a acusação no que respeita aos três crimes de homicídio na forma tentada que passaram para três crimes de ofensas à integridade física qualificada sobre os três amigos, também de Cabo Verde, que acompanhavam o estudante que viria a falecer, que se queixam de agressões. Segundo a juíza foram eles que começaram a briga na madrugada de 21 de dezembro que acabaria com a morte de Luís Giovani num hospital do Porto a 30 de dezembro, depois de 10 dias em coma devido a um trauma crânio-encefálico.
Três dos sete arguidos estão ainda pronunciados em autoria material e na forma consumada de um crime de detenção de arma proibida. O oitavo arguido, que só estava acusado de favorecimento pessoal, por ser suspeito de ter escondido uma das armas, não foi pronunciado.