Nordeste Transmontano

Alta de paciente infetado para a Santa Casa “não devia ter acontecido”

Foto de Arquivo
Publicado por António G. Rodrigues em Seg, 2020-03-30 19:08

A alta dada a um paciente infetado com covid-19 que foi encaminhado para a Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia de Bragança “não devia ter acontecido”, admitiu hoje Eugénia Madureira, a diretora clínica da Unidade Local de Saúde do Nordeste.

Confrontada pelo Mensageiro sobre o caso de um paciente a quem foi dada alta, na semana passada, antes de ser conhecido o resultado do teste a covid-19 a que tinha sido sujeito, a responsável clínica da ULS admite que se tratou “de uma falha”.

“Foi uma daquelas coisas que acontecem e não devia ter acontecido. O senhor foi testado e por qualquer má articulação entre a equipa o doente acabou por ser enviado [para o lar] e acabou por acusar positivo”, disse.

No entanto, uma vez que sofria, também, de outras infeções, acabou por ficar em isolamento. “Felizmente, como o senhor tinha estado internado com um quadro infeccioso diferente, já havia a indicação de que deveria estar isolado. Mas tenho de admitir que houve uma má articulação da equipa”, frisou.

Tratou-se do doente transferido na passada quinta-feira para Macedo de Cavaleiros, onde acabaria por ficar internado após ser conhecido o resultado do teste.

Os restantes seis utentes testados no final da semana passada, e que entretanto foram transferidos de volta para a Santa Casa de Bragança, acabaram por ter testes negativos a covid-19.