Carlos Fernandes

III Epistola do Interior

Aos Deputados Catarina Martins e Jerónimo de Sousa
Excelências
Um cidadão português nascido em 1955 começou a trabalhar em Outubro de 1969 no sector do comércio. Tinha, então, catorze anos e meio (14,5). Em plena ditadura de Estado Novo de Salazar. Em Maio de 1971 começou a fazer descontos para a Caixa de Previdência do Distrito de... Tinha feito em Abril 16 anos e todos os meses descontava (religiosamente) para a Previdência.
Em 9 de Julho de 1976 tomou posse como funcionário público no gabinete do Ministro C.I.


I Epistola do Interior

Aos Deputados
Catarina Martins
Jerónimo de Sousa
 
Excelências
Quem acompanha a política nacional não pode esquecer o vosso percurso partidário e político especialmente nos últimos dez anos.
Uns acusam-vos de oportunistas, outros de vendedores de banha da cobra. Há ainda quem pense que o vosso catecismo político é a demagogia e há os que vos acusam de prometerdes tudo a todos como «sol na eira e chuva no nabal».
Mas eu sei que há quem vos deteste, que há quem vos odeie e que há quem vos abomine!


Quo Vadis PSD? (4)

Naturalmente que o Distrito de Bragança não podia ficar à margem da disputa pela liderança do PSD. E mais uma vez ficou evidente que o PSD do concelho de Bragança está de um lado e o PSD do distrito está de outro lado. Esta maleita começou a afectar o PSD do concelho quando o engº Jorge Nunes ganhou a C.M. de Bragança em 1997. Desde então para cá ,em todas as escolhas de liderança, o PSD  de Bragança ganha contra o PSD do distrito e contra o PSD nacional. 11 concelhias do distrito, sistemáticamente, acertam na escolha ,  a de Bragança apoia sempre o candidato derrotado. É obra!


Quo Vadis PSD? (2)

Quem tivesse acompanhado o congresso do PSD que elegeu o Dr. Rui Rio ficava a saber que a sua liderança não ía ser fácil.
De um lado os comentadores de serviço alinhados com os interesses inconfessáveis da capital e da «linha de Cascais».
Do outro lado os derrotados capitaneados pela D. Paula Peixeira e pelo sr. Miguel Relvas que atacaram Rui Rio sem lógica e sem sentido.


Quo vadis PSD? (I)

Não escondo a simpatia política que tinha pelo Dr. Pedro Santana Lopes na disputa de liderança do PSD pela sua forma de estar na política. Mas também não escondo a satisfação que me deu a vitória do Dr. Rui Rio.


pub_edp-home