Pe. José Luís Pombal

Expropriados de si

No Expresso Curto desta segunda-feira, Raquel Moleiro assinala os 120 anos da morte de Eça de Queirós com esta citação da obra Crime do Padre Amaro: «Foi no domingo de Páscoa que se soube em Leiria, que o pároco da Sé, José Miguéis, tinha morrido de madrugada com uma apoplexia. O pároco era um homem sanguíneo e nutrido, que passava entre o clero diocesano pelo comilão dos comilões. Contavam-se histórias singulares da sua voracidade». Esta citação não fez mais que projetar-me, de imediato, para o que lera, dias antes, num artigo do Valter Hugo Mãe, intitulado O Paulino Carvalho.


Conceito de estabilidade

A recente greve dos motoristas de matérias perigosas fez-nos espraiar o pensamento em diversas direções. A dignidade dos trabalhadores, a importância do diálogo com as entidades patronais, a missão dos sindicatos, os direitos do cidadão comum, o recurso à greve… foram temáticas sobre as quais pudemos refletir. Foi-nos ainda dado constatar, mais uma vez, a necessidade que temos uns dos outros. Quantos mais sectores do mundo laboral, discretos e silenciosos, precisam de parar para nos darmos conta da sua importância?


Espelho de Virtudes

Soubemos no início deste mês de julho que D. Frei Bartolomeu dos Mártires passará a ser oficialmente reconhecido como membro daquela estripe que se deixa consumir pela chama da santidade. Um seu contemporâneo e amigo, o bispo de Milão Carlos Borromeu, com quem Bartolomeu se correspondia, designou-o como «modelo de bispos e espelho de virtudes cristãs». É, por isso, mais um daqueles grandes exemplos que nos precedem apontando para o alto sem dissimular as exigências do tempo presente.


Chiara Corbella Petrillo

Encontramo-nos no mês dos santos populares. Em torno das suas figuras, a sociedade de hoje constrói momentos agradáveis de festa, o que é muito louvável. Efetivamente, os santos são um hino à vida e, por onde passam, deixam inevitavelmente um rasto de alegria, mesmo se se pautaram por uma dura austeridade. Foram e continuarão a ser ocasião de encontro, de canto e de dança. Quem serve assim a vida dos homens naturalmente contribui para a glória de Deus. Ao lado destes, vão emergindo nos nossos dias outros, cuja popularidade se vai alargando.


Pés da Paz

Ainda que o fogo que destruiu grande parte da catedral de Notre-Dame seduza o olhar, não me sai da cabeça mais um gesto do papa Francisco. Desde o início que Bergoglio nos habituou à poética dos gestos. Na verdade, os sinais falam mais que uma catadupa de palavras. Projetam-nos. E, como têm a capacidade de se aninhar na nossa memória, fazem-nos companhia, falam-nos e ensinam-nos.


De novo no exílio

Faleceu no dia 14 de março o cardeal belga Godfried Danneels, arcebispo emérito de Mechlen-Bruxelas. Talvez não seja muito conhecido na nossa região. Eu tive a sorte de ler, já há uns anos, um texto dele sobre a Eucaristia. A partir daí com facilidade o recordava nos domingos das nossas aldeias, devido ao som dos sinos. Danneels dizia que a Missa começa com o toque do sino. Estabelecia assim uma comparação entre o som que se propaga do campanário com a voz de Deus que convida para a Eucaristia.


Fraternidade humana

A 13 de março de 2013 o papa Francisco, na sua primeira saudação pública, pediu orações para que em todo o mundo existisse «uma grande fraternidade». A polifonia da fraternidade consegue-se a partir do encontro e do diálogo entre a diversidade de povos, culturas e religiões. Daí que os muros existam para serem deitados abaixo. Antes de mais pela oração, que reata a relação com Deus e, se verdadeira, não aliena da realidade, antes acorda para ela e leva o crente a discernir novos modos de colaborar com Deus na construção da história.


Riqueza da conversão

A educação em Portugal tem estado ultimamente em debate, sobretudo no que respeita ao ensino superior e à utilidade ou inconveniência das propinas para os estudantes universitários. Intimamente entrelaçados com esta discussão estão os temas do alojamento e do apoio social. De modo particular chamou-me à atenção a importância do apoio social no suporte de uma formação superior.