Música - Entrevista a MK Nocivo

“Não acho que Bragança seja uma cidade racista”

Publicado por António G. Rodrigues em Qui, 2020-03-19 12:18

MK Nocivo, o rapper brigantino agora emigrado em Paris e autor de êxitos como “Filha de Emigrante”, vai lançar um novo tema no próximo sábado, Dia mundial contra a Discriminação Racial. Ao Mensageiro, em exclusivo, o rapper levanta a ponta do véu de um trabalho inspirado no caso Giovani. Desta vez, conta com a colaboração de uma artista cabo-verdiana. (Veja aqui o teaser).

Mensageiro de Bragança: Como surgiu a ideia de lançar este tema, “Igual”?
MK Nocivo:
Para mim o Hip-Hop será sempre intervenção, consciência social e crítica. Este é um tema que tinha de ser feito obrigatoriamente. Eu só costumo abordar os temas quando me tocam pois aqui, em Paris, também já senti algum tipo de preconceito de algumas pessoas em relação aos Portugueses. Isso aliado aos acontecimentos recentes em Bragança e em Portugal foram o empurrão necessário para a criação deste tema.

MB.: Com quem colabora neste novo trabalho?
MKN.:
Neste tema tenho a participação da cantora Lu Semedo. É uma artista de origem cabo-verdiana nascida em Portugal e residente em Paris. Ela começou por fazer ‘covers’ no Youtube em parceria com o seu produtor e manager, Dj Milton. Eu tive conhecimento do trabalho dela através do Welsau Bungué, o génio por trás dos meus vídeos, que também trabalha com ela, mais tarde encontrei uma referencia dela no rap e achei que era a pessoa ideal para criar este trabalho comigo. Estabelecemos contacto e passámos para à ação.

MB.: Acha que a sociedade brigantina é racista?
MKN.:
Não podemos generalizar e fazer de uma parte um todo. Acredito que haja pessoas com essa mentalidade, como em todo o lado, mas no geral não acho que seja uma cidade racista. E acho que isso está bem visível quando vês a quantidade de estudantes estrangeiros que decidem fazer de Bragança a sua casa depois de passarem por cá, o que, para mim, é óptimo para a cidade pois temos uma cidade multicultural e diversa.

MB.: Que reações espera a este tema?
MKN.:
Apenas pretendo despertar consciências, injetar as pessoas com noção e mudar mentalidades. Por uma sociedade mais justa, igualitária e multicultural. Basicamente é uma posição pública contra qualquer tipo de ato racista.

MB.: Quais os próximos trabalhos a lançar?
MKN.:
Este é o primeiro single do meu novo álbum “RONIN” que significa “Samurai Sem Mestre”. Irei continuar a apresentar o resto do álbum tema a tema até ao seu lançamento. Irá ser lançado num formato...diferente. Fiquem atentos. Quem quiser estar a par dos lançamentos, de colaborações, de apresentação ao vivo, etc, pode-me seguir nas redes sociais, é só colocar MK Nocivo que me encontram em todo o lado.