Entrevista

“Sou movido pela enorme paixão que tenho pelo futsal”

Publicado por GM em Sex, 2020-03-27 18:17

Paulo Touças é sinónimo de sucesso no futsal feminino brigantino. Esta época iniciou um projeto de raiz com o GD Macedense e os resultados não poderiam ser melhores. Uma época de sonho, interrompida devido ao Covid-19, com participação garantida na Taça Nacional e a conquista do Campeonato Distrital de Abertura, Campeonato Distrital, Taça Distrital e Taça Transmontana.

MdB - Estamos a meio da época do GD Macedense, com a Taça Nacional por disputar e 4 títulos conquistados. Que análise faz a este momento desportivo?
PT - Fazendo um balanço, esta época tem sido bastante profícua relativamente a títulos. Somos uma equipa recém-criada, dado que o G.D.M. não possuía equipa feminina desde a época 2009/2010! Ninguém pode ficar indiferente a estes feitos, vencer os 3 títulos do nosso Distrito mais a Taça Transmontana logo no “Ano Zero” desta equipa é um feito extraordinário e incontestável. Ninguém pode retirar o mérito a este grupo de trabalho que tem sido fantástico.

MdB-Como lidas com a expetativa individual e de grupo das tuas atletas?
PT - A mensagem que eu lhes passei, logo nos primeiros treinos, foi que se queriam ser campeãs o objetivo teria de ser de todo o grupo e não só vontade da equipa técnica ou da Direção. Sendo objetivo comum da equipa, o trabalho foi orientado nesse sentido. Todas elas mostraram desde o primeiro momento um verdadeiro senso de responsabilidade e compromisso relativamente aos treinos e aos objetivos definidos.
As expetativas individuais são diferentes das de grupo, dado que temos atletas experientes e outras que nunca jogaram a nível competitivo. Dessa forma, vou dialogando com as atletas de forma individual ao longo da época desportiva de forma a perceber os “sentimentos” delas, tentar motivá-las e orientá-las da melhor forma para o objetivo, primeiro de grupo e segundo o individual.

MdB - Na época passada estava nos Pioneiros e esta no Macedense. Muda alguma coisa?
PT - Tive a oportunidade de viver momentos extraordinários tanto a nível desportivo como a nível pessoal no Pioneiros e é isso que quero guardar pois é um clube que me diz muito.
Bem, posso dizer que tudo mudou! Toda a mudança implica um risco, ainda mais começando do “Zero” um projeto desportivo de uma equipa feminina. Felizmente, o G.D.M. tem uma estrutura diretiva bastante forte, é um clube muito organizado, ambicioso e com um potencial de crescimento enorme. Tenho de mencionar as gentes de Macedo e a claque U.R. 12, que se mobilizam, apoiam fervorosamente o clube da terra criando uma atmosfera fantástica, única e que nenhum clube do nosso distrito possui. É um privilégio poder vivenciar isso e poder constatar que o G.D.M. é mesmo “Paixão Verdadeira”, um dos lemas do Clube.

MdB - Qual a análise que fazes ao futsal feminino no distrito de Bragança? O que pode melhorar?
PT - Já tive oportunidade de mencionar mais vezes que o nosso futsal está bastante pobre, quer a nível competitivo, quer no número de equipas participantes. Somos uma região do interior, o que implica ter menos gente e por consequência menos praticantes.
A união da competição com o Distrito de Vila Real, que defendo desde o término da época passada, seria benéfica a nível competitivo para todos os clubes envolvidos. Já aconteceu isso com a A.F.Braga e A.F.Viana do Castelo esta época. Seria interessante a A.F.Bragança e A.F. Vila Real poderem avaliar esta situação com os clubes filiados o mais rapidamente possível, porque isto também implica ter equipas menos competitivas na Taça Nacional o que não me parece de todo uma vontade de ambas as Associações.

MdB - Neste momento o mundo vive um momento dramático com o surto de Covid19. Que feedback tem sentido da parte das entidades desportivas competentes?
PT - Tem sido muito complicado gerir esta situação, porque se trata de um assunto de saúde pública em escala mundial. Penso que a suspensão de todos os campeonatos foi a melhor decisão possível por parte da Federação Portuguesa de Futebol.
Nesse contexto, a nossa Direção decidiu respeitar ao máximo as regras que foram impostas e cancelar todas as atividades planeadas de forma a proteger atletas, equipas técnicas, diretores, departamento médico e por consequência as suas famílias.

MdB - Consideras as medidas tomadas até ao momento suficientes?
PT - A nível desportivo todas as medidas tomadas quer a nível do nosso clube, quer a nível da Federação são adequadas para proteção dos atletas e de quem os rodeia.
Sendo um assunto de extrema gravidade, penso que mal surgiram os primeiros casos na Europa o nosso Governo deveria ter um plano de contingência mais “agressivo” à semelhança, por exemplo, do que aconteceu em Macau.

MdB- Que impacto esperas que esta situação tenha na prestação do GD Macedense?
PT - Dada a atual situação que vivemos é ainda muito precoce avaliar o futuro, até porque o “pico” da pandemia está ainda longe no nosso país e a situação tende a piorar. A Taça Nacional está suspensa, os nossos treinos também e não saberemos como os órgãos Federativos procederão à organização do que resta da Época.
As atletas treinam individualmente, com as devidas restrições que esta situação permite e ser-lhes-á preparado um plano de treino mais específico para manterem a forma física e estarem preparadas para a eventualidade dos treinos em grupo serem retomados.

MdB - Que podem esperar do GD Macedense no futsal feminino?
PT - Primeiramente é importante consolidar os processos táticos e ter um crescimento sustentado a todos os níveis. Nesta primeira época conseguimos juntar troféus a todo este processo o que é excelente. Agora é dar continuidade a esse crescimento bem consciencializados que teremos de trabalhar muito, diria até nos transcendermos, para poder ter um G.D.M. feminino a ombrear com as equipas a nível Nacional.

MdB - Quais as metas pessoais traçadas pelo técnico Paulo Touças para a sua carreira?
PT - Penso nas coisas da forma mais racional possível, vivo e usufruo do presente para me servir de bagagem a longo prazo. Sou movido pela enorme paixão que tenho pela modalidade, paixão essa que me fez chegar ao G.D.M. onde estou de “corpo e alma” e é onde está todo o meu foco.