A opinião de ...

“Pelo Santo André (30/11), neve no pé”

A última semana foi caracterizada pelas condições meteorológicas variáveis, contudo, tivemos um claro domínio das altas pressões, com tempo maioritariamente estável em toda a região e temperaturas anormalmente elevadas para a época do ano, continuamos sem registar geadas significativas e generalizadas em todo o nordeste transmontano, os típicos nevoeiros de inverno, encaixados nos vales dos principais rios, voltaram a aparecer e foram persistentes em alguns dias.

Já estamos na segunda metade de novembro e começam a soar os alarmes da falta de precipitação, vejamos os dados de Bragança, neste momento regista apenas 24 litros por m2 de precipitação acumulada, para chegar à média mensal, 86 litros por m2, teremos de assistir a uma mudança significativa do padrão meteorológico, favorecendo as depressões atlânticas, capazes de regar com vigor a nossa região.
De destacar, as temperaturas mínimas muito elevadas desde o início do mês, segundo o IPMA, registaram-se sempre até à presente data, valores muito acima da média, que em Bragança é de 3.6ºC, com um pico no dia 15, em que a mínima registada foi de 11.8ºC, daí que as geadas se têm mantido ausentes. Também nas máximas, embora com maior variabilidade, os registos apontam para valores francamente suaves, no dia 16 a mesma estação registou 16ºC, quando a média é de 12.8ºC, apenas duas jornadas foram exceção, o dia 4 com 10.2ºC e o dia 10 com 10.5ºC, ou seja sem qualquer registo de dias frios e invernais que seriam normais aparecerem nesta época do ano, durará muito a bonança?

De momento não está clara uma mudança significativa do estado do tempo, contudo é possível que se registe uma certa normalização dos valores das temperaturas nos próximos dias, mas sem atingir ainda, temperaturas efetivamente frias, não se vislumbram temperaturas negativas no curto prazo.
No que toca à precipitação, o cenário é mais grave, pois não se prevê grande quantidade de chuva, o que parece encaminhar o mês para um cenário seco a extremamente seco, quando necessitamos que chova e muito, para alimentar os nascentes que por sua vez dão vida aos nossos rios, que permanecem sem caudais ou com caudais muito reduzidos.

Nos próximos dias não se prevê precipitação, podem ocorrer neblinas e nevoeiros persistentes e as temperaturas vão variar, as mínimas entre os 2/3ºC e as máximas entre os 12/15ºC em Bragança. Dada a incerteza das previsões a prazo, aconselhamos o acompanhamento das atualizações de todas as informações na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes - Portugal.

Edição
3808