A opinião de ...

Um exemplo

“Uma presença serena.” Foi assim que D. José Cordeiro se referiu ao Cón. Abílio Augusto Miguel, que nos deixou no final da semana passada, aos 94 anos.
Quem teve o privilégio de lidar com o Cón. Abílio sabe o extraordinário ser humano e a “presença serena” que era.
Apontado por muitos como “um exemplo”, foi ordenado sacerdote por D. Abílio Vaz das Neves, seu tio e fundador do jornal diocesano Mensageiro de Bragança, que o Cón. Abílio Miguel viria a dirigir durante mais de 23 anos, num dos períodos talvez mais profícuos do jornal.
Ao longo da sua vida, procurou evitar conflitos e procurar a paz e a harmonia.
Mesmo na diocese foi um pacificador.
No dia do seu 90.º aniversário, mostrava-se humildemente agradado pela “surpresa” da reunião de vários sacerdotes do presbitério, que fizeram questão de assinalar a data natalícia numa eucaristia celebrada no seminário de S. José.
O Cón. Abílio Augusto Miguel deixa-nos mais pobres pela sua ausência mas mais ricos todos aqueles que privaram com ele.
Até sempre, Diretor.

Passadas as eleições, é altura da formação de Governo para os próximos quatro anos (em teoria).
O distrito de Bragança deverá continuar a ser representado nas mais altas instâncias do Poder, em Lisboa, onde ainda se vão decidindo os destinos da Nação.
Numa altura em que o equilíbrio de forças na Assembleia da República deixa algumas incertezas quanto à real capacidade de o PS conseguir governar, sobra uma certeza. As assimetrias regionais, cujo crescimento tem sido gritante, como o fenómeno dos incêndios tão bem tem demonstrado, serão um dos tónicos dos próximos anos.
É urgente que em Lisboa se perceba que o país vai muito para além do Terreiro do Paço. E que é preciso muito mais para mobilizar um povo extraordinário.
Quando a causa é justa, não falta quem adira. Termos quem nos represente lá aonde a nossa voz não chega é meio caminho andado para iniciar uma mudança de paradigma.

Edição
3752