Motocrosse

Carrazeda de Ansiães coroou campeões

Publicado por AGR em Sex, 2019-06-21 10:25

A segunda edição do Motocrosse de Carrazeda de Ansiães foi um sucesso, com casa cheia para assistir à consagração dos novos campeões nacionais da modalidade.
Sandro Peixe e Fábio Costa garantiram no domingo, em Carrazeda de Ansiães, os títulos nacionais motocrosse nas classes MX1 e Iniciados respetivamente, com Peixe a garantir, igualmente, a vitória na Elite. Por decidir fica apenas o cetro em MX2, que terá como palco de todas as decisões a derradeira prova do campeonato, no Alqueidão.
Fábio Costa voltou a ser superior a todos os seus adversários a caminho das nove vitórias em dez possíveis que passou a deter no campeonato nacional de Iniciados. A caminho do título Costa venceu a primeira manga com mais de 12 segundos de vantagem sobre Martim Espinho. Na segunda corrida Costa voltou a liderar a totalidade das 11 voltas realizadas aos 1900 metros do traçado nordestino, batendo Martim Espinho por mais de 22 segundos, ele que desta feita passou Sandro Lobo e descolou do rival para fechar a jornada com quase oito segundos de vantagem.
Fábio Costa garantiu já o título.
Na classe MX2 será a última prova a decidir quem vence o campeonato mas Diogo Graça aproximou-se da coroa de louros ao somar mais uma dupla vitória e assim se aproximar de um título para o qual não precisa de vencer no ‘cair do pano’ sobre o campeonato. Na primeira manga coube a Luís Outeiro a liderança do pelotão na primeira volta, mas logo na seguinte era já Graça quem estava na frente, lutando de forma intensa até ao final para bater Outeiro por apenas 293 milésimas de segundo. Renato Silva foi o terceiro depois de ultrapassar Sérgio Garcia a duas voltas do final. Na segunda corrida a história repetiu-se e Outeiro foi comandante na primeira volta, sendo depois passado por Graça que não mais largou a posição até abraçar a bandeira de xadrêz com pouco menos de sete segundos de vantagem.
Com os dois segundos lugares conseguidos em MX1 o ribatejano Sandro Peixe, filho de uma lenda do motocrosse, César Peixe, assegurou aqui o título na classe. Paulo Alberto foi o vencedor em ambas as mangas, liderando a totalidade das voltas da primeira para concluir com quase 33 segundos de vantagem sobre Peixe. Pedro Carvalho fechou o pódio depois de subir ao terceiro posto logo na terceira volta por troca com Daniel Pinto. Na segunda corrida, Paulo Alberto voltou a aplicar a mesma receita para vencer a manga face a Peixe, agora com quase 27 segundos de vantagem. A corrida seria condimentada com a luta pela terceira posição que acabou por pertencer a um esforçado Pedro Carvalho que depois de ser 11º na primeira volta, escalou a classificação e subiu ao terceiro posto a três voltas do fim para bater novamente Daniel Pinto por cerca de dois segundos. Paulo Alberto reforçou assim a sua posição de vencedor crónico no campeonato, oito mangas consecutivas, pois desde que chegou do Brasil ainda não perdeu uma corrida. A sua ausência nas primeiras três provas - seis mangas - ditaram o seu afastamento prematuro da luta pelo título.
No fecho do programa desta penúltima ronda do campeonato foi Paulo Alberto quem voltou a vencer, com pouco mais de 18 segundos de vantagem sobre Peixe. Diogo Graça foi sempre o terceiro ao longo de toda a corrida, ficando a luta pela quarta posição dividida entre Pedro Carvalho e Luís Outeiro.